Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Programa Escola Aberta na EEFM PAULINO ROCHA

A EEFM DEPUTADO PAULINO ROCHA  agora com o Programa Escola Aberta com as oficinas de introdução à informática, artesanato básico, capoeira, violão e teclado. 

O Programa Escola Aberta incentiva e apoia a abertura, nos finais de semana, de unidades escolares públicas localizadas em territórios de vulnerabilidade social. A estratégia potencializa a parceira entre escola e comunidade ao ocupar criativamente o espaço escolar aos sábados e/ou domingos com atividades educativas, culturais, esportivas, de formação inicial para o trabalho e geração de renda oferecidas aos estudantes e à população do entorno.

Contatos

E-mail: deppaulinorocha@gmail.com   
Fone: 31013047



















terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Autarquia do MEC recebe prêmio por sistema de controle interno

O Sistema de Gerenciamento de Adesão a Registro de Preços (Sigarp), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), recebeu o primeiro prêmio no Concurso de Boas Práticas da Controladoria-Geral da União (CGU), na categoria aprimoramento dos controles internos administrativos. A cerimônia de premiação ocorreu no Auditório da Universidade dos Correios, em Brasília, nesta segunda-feira, 9, Dia Internacional Contra a Corrupção.

Lançado em 2011, o Sigarp é uma ferramenta de gestão e de transparência do processo de adesão às atas de registro de preços do FNDE. Visa tornar mais ágil o processo de adesão, fornecer informações gerenciais, armazenar resultados e torná-los disponíveis às entidades interessadas e à sociedade.

“Um prêmio deste é o reconhecimento pela dedicação e trabalho de toda uma equipe”, afirmou a diretora de administração do FNDE, Leilane Mendes Barradas. Ela explicou que, embora o Sigarp tenha sido criado em 2011, a autarquia já trabalhava com registro de preços há seis anos. “Agradeço a todos os envolvidos com os trabalhos do sistema, inclusive a Diretoria de Tecnologia, que deu um apoio fundamental para o funcionamento do Sigarp. Sem empenho e dedicação das equipes não haveria premiação”, ressaltou a diretora, que recebeu o prêmio acompanhada do presidente do FNDE, Antônio Corrêa Neto.

Leilane também falou dos benefícios que o Sigarp trouxe para a administração pública. “O sistema gera a integração do FNDE com estados, municípios e todos os atores envolvidos com o registro de preços, além de movimentar quatro diretorias da autarquia. Depois do Sigarp, percebemos que a chance de erros é bem menor, pois tudo é informatizado. Além disso, houve melhoria no processo com maior celeridade e economia de recursos.”

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, esteve presente e ressaltou a importância do bom desempenho dos órgãos de controle para a garantia de resultados positivos na gestão da educação. “Todo dia é dia de combate à corrupção. Isso exige esforço dos gestores e eficiência dos órgãos de controle. Hoje, com a tecnologia da informação, podemos dar mais transparência às atividades desenvolvidas. Dedico esse prêmio a todos os servidores do FNDE, que estão lá na ponta trabalhando por uma educação de qualidade”, afirmou.

O concurso recebeu 47 projetos de 17 ministérios. O principal objetivo da iniciativa foi o de estimular e premiar ações que promoveram melhorias efetivas dos controles internos dos órgãos e entidades da administração federal com a transparência de suas ações. Na categoria aprimoramento dos controles internos administrativos, também foram premiados o Sistema de Controle de Demandas Externas, do Ministério do Turismo, e o Sistema de Gestão de Eventos para Suprimentos, gerenciado pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos.

Professores brasileiros farão cursos de formação em Portugal

Em janeiro e fevereiro do próximo ano, 168 professores das redes públicas da educação básica que lecionam física, química, matemática, pedagogia e língua portuguesa participam em Portugal de cursos de desenvolvimento profissional. Os selecionados pelo Programa de Desenvolvimento Profissional para Professores em Portugal (PDPP) vão estudar nas universidades de Aveiro e do Porto. Eles foram escolhidos de acordo como o Edital nº 74/2013, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

O envio de profissionais que atuam nas redes públicas para cursos em Portugal atende uma série de objetivos do governo federal, entre os quais a valorização do magistério, a vivência com educadores de outro país, estímulo ao uso de tecnologias educacionais, troca de experiências. A seleção compreende educadores matriculados em cursos do Plano Nacional de Formação de Professores (Parfor) e bolsistas supervisores do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), ambos da Capes.

A distribuição dos professores contempla as cinco regiões do país. As áreas com maior número de selecionados são química e física. Dos 43 educadores que lecionam física, metade fará a formação na Universidade de Aveiro, no período de 13 a 24 de janeiro, e metade na Universidade do Porto, de 13 a 31 de janeiro. Os 50 selecionados de química também se dividem entre as duas instituições: a formação em Aveiro será de 3 a 19 de fevereiro; e no Porto, de 13 a 31 de janeiro. A Universidade de Aveiro também recebe os 25 professores de matemática, no período de 29 de janeiro a 21 de fevereiro; e os 25 de pedagogia, de 13 a 27 de janeiro. Professores de língua portuguesa vão receber formação na Universidade do Porto, de 13 a 31 de janeiro.

Apoio – Todos os custos de viagem e dos estudos em Portugal serão de responsabilidade do governo federal: passagens aéreas nacional e internacional, despesas de deslocamento da residência ao aeroporto no Brasil e dos trajetos em Portugal, alojamento, alimentação, ajuda de custo no valor de 250 euros e seguro saúde no valor de 90 euros.

Rondônia lidera entre estados com melhores experiências

Rondônia é o destaque entre as unidades da Federação na sétima edição do Prêmio Professores do Brasil. O estado tem cinco experiências pedagógicas entre as 40 vencedoras. Neste ano, foram selecionados trabalhos desenvolvidos em escolas publicas de educação básica de 16 estados e do Distrito Federal. Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul aparecem no prêmio com quatro projetos vencedores em cada estado.

Do conjunto de experiências que serão premiadas na próxima quinta-feira, 12, em Brasília, 20 tratam de temas livres nas categorias educação infantil, anos iniciais e anos finais do ensino fundamental, além de ensino médio. Outros 20 trabalhos abordam temas específicos indicados pelo Ministério da Educação no edital: ciências para os anos iniciais do ensino fundamental, alfabetização nos anos iniciais do ensino fundamental, educação integral e integrada e educação digital articulada ao desenvolvimento do currículo.

A entrega dos prêmios para as melhores experiências pedagógicas será nesta quinta-feira, 12, às 10h, no Teatro Brasil 21. Na tarde do dia 12 e na sexta-feira, 13, os educadores participam de um seminário no Hotel St. Peter.

Prêmios – Cada professor receberá R$ 6 mil, em dinheiro, independente da categoria em que tenha concorrido, um troféu e certificado. Existe também um prêmio extra de R$ 5 mil que será entrega a oito educadores, um em cada subcategoria: educação infantil, anos iniciais do ensino fundamental, anos finais do ensino fundamental, ensino médio, educação integral e integrada, ciências para os anos iniciais, alfabetização, educação digital articulada ao desenvolvimento do currículo. Os vencedores do prêmio extra serão conhecidos durante a cerimônia em Brasília. As escolas que desenvolveram os trabalhos receberão placa comemorativa.

A sétima edição do Prêmio Professores do Brasil recebeu 3.221 relatos de experiências das 27 unidades da Federação.

Trajetória – Nas duas primeiras edições do Prêmio Professores do Brasil, em 2005 e 2007, participaram docentes da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental. Em cada ano foram premiados 20 projetos. A partir de 2008, o prêmio foi estendido para toda a educação básica, incluindo os anos finais do ensino fundamental e o ensino médio e o número de selecionados subiu para 40.

Dados da coordenação geral de tecnologias da educação básica do MEC informam a evolução das inscrições no período. Em 2005 participaram 1.131 experiências, em 2007 (1.564); em 2008 (779), em 2009 (2.100), em 2011 (1.612), em 2012 (2.617), e em 2013 (3.221).

Ministro destaca importância de plataforma virtual de estudos

Segunda-feira, 09 de dezembro de 2013 - 19:34
São Paulo – Os candidatos que fizerem a edição 2014 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) poderão contar com a ajuda de uma plataforma on-line de preparação. Trata-se do Geekie Lab, que consta do Banco de Propostas Inovadoras em Avaliação da Educação Básica do Inep. A ferramenta, ainda em forma de adaptação, foi utilizada por mais de dois milhões de jovens nos dois meses em que ficou em funcionamento. A ideia para o ano que vem é dar acesso gratuito para todos os estudantes da rede pública do país, contando com o apoio das secretarias estaduais de educação.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, participou nesta segunda-feira, 9, em São Paulo, do encerramento do Geekie Games 2013. Em sua fala, ele parabenizou a iniciativa e reforçou a importância do Enem. "O Enem é para onde esses jovens estão olhando. É uma perspectiva fantástica", disse.

Utilizando o modelo de provas do Enem, o Geekie Lab traz, além de questões nas áreas de conhecimento do Enem, um plano de estudos semanal para que o estudante supere os seus principais pontos fracos para melhorar sua nota na prova. A plataforma simula as notas dos alunos e, com base neste resultado, apresenta um plano detalhado de estudos. Os professores, inclusive, podem acessar os resultados da plataforma para verificarem os desempenhos dos seus alunos. O Geekie Lab ajuda a formar um diagnóstico de cada escola do país.

Mercadante também reforçou as diferentes ações do MEC para garantir a ampliação da tecnologia na educação, mas garantiu que ainda há muito para avançar. Uma das principais ações é a formação de professores e a distribuição de tablets para os professores do ensino médio. "A tecnologia da informação dialoga com a juventude. E o professor precisa ter conhecimento desse instrumento", pontuou o ministro.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Governo fortalecerá o ensino médio por meio de um pacto nacional

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013 - 18:11

O Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio foi lançado nesta segunda-feira, 25, pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante. O programa prevê a participação de 495.697 professores e 7 milhões de estudantes, em mais de 20 mil escolas da rede pública estadual. A iniciativa deverá contar com a adesão dos 26 estados e o Distrito Federal, além da participação de 40 universidades.

Baseado no modelo do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, lançado há mais de um ano, o Pacto pelo Ensino Médio visa promover a valorização do professor da rede pública estadual por meio da oferta de formação continuada. O programa dará uma bolsa de estudos no valor de R$ 200 para os professores do ensino médio, cadastrados no educacenso, que estejam ativos no exercício da docência, tenham frequência e desempenho registrados na formação desenvolvida com apoio das secretarias estaduais e universidades.

“Não há processo educativo sem a mediação do professor. Por isso, o eixo central deste programa é valorizar esses profissionais”, destacou o ministro da Educação. Segundo ele, as bolsas começarão a ser pagas em fevereiro do ano que vem. Mercadante disse ainda que o governo federal pretende, posteriormente, redefinir a formação inicial dos professores, modificando os cursos de licenciatura e pedagogia.

Os cursos de formação continuada serão realizados na própria escola, durante a jornada semanal de trabalho. Os professores utilizarão material pedagógico digital disponível nos tablets que foram distribuídos para as secretarias de educação pelo MEC.